Quero fazer tudo: a falta de foco pode arruinar seu negócio

Você já viu esse filme: o empreendedor tem um sonho. Ele quer mudar o mundo. Ele está cheio de ideias. Ele está cheio de energia. Então, decide abrir um negócio colocando tudo em prática ao mesmo tempo. Ele não tem foco. Seu negócio vai sobreviver?

Pato louco

Certa vez eu fui chamado a participar de um grupo que tinha 4 sonhos: queriam ser uma escola executiva, uma empresa de eventos, uma mentora de startups e uma agência de design e comunicação. Só havia um problema: eles nunca tinham sido nenhuma dessas coisas antes. Estavam começando. Queriam abraçar o mundo. Resultado: na tentativa de ser tudo, eles foram nada.

Esse exemplo ilustra algo muito comum: o empreendedor que tenta dar tiros para todos os lados. Ele não quer ser apenas um escritório de design. Ele quer ser uma desenvolvedora de software, uma empresa de eventos, uma gráfica rápida e um estúdio de tatuagem. Mas o empreendedor (e sua equipe) não é bom em nada disso. É como um pato que faz de tudo, corre, nada e voa. Mas corre mal, nada mal e voa mal. Na tentativa de fazer tudo, acabam fazendo tudo de forma rasa e superficial.

Qual o problema?

A tentativa de ser bom em tudo esbarra num problema prático: não há dinheiro para tudo, não há equipes para tudo, não há tempo para tudo. Os recursos disponíveis são escassos, embora os desejos sejam infinitos. O resultado é que se tenta cuidar de três plantinhas com água e luz suficiente para apenas uma planta. Elas crescem com dificuldade, desnutridas, isso quando não morrem.

O problema pode ser ilustrado com a metáfora da ponte. Uma ponte para funcionar não pode ser incompleta. Ter apenas um terço de uma ponte é inútil. Melhor do que ter três ou mais pontes incompletas é ter apenas uma, que cumpra seu propósito.

Infográfico Ponte

Fazendo uma analogia com um negócio, eles também são como pontes. Na tentativa de abraçar o mundo e colocar em prática várias idéias ao mesmo tempo, as pessoas não percebem que isso gera resultados incompletos, insuficientes. O empreendedor abriu um salão de beleza e, junto, uma lanchonete para atender os clientes. Mas ele mal consegue dar conta do salão.

E qual a solução?

É melhor ter 10% de alguma coisa do que 100% de nada.

Ao invés de fazer várias coisas ao mesmo tempo, escolha apenas uma e se torne bom nela. Faça com capricho e cuidado. Deixe seus clientes satisfeitos e, quando seu negócio estiver estável, dê o próximo passo.

Em Curitiba, temos um excelente exemplo. Um box de Crossfit começou seu negócio em pequenos estágios. Em primeiro lugar, começou a atender seus alunos numa praça, ao ar livre, todos os sábados. Eles começaram praticamente sem equipamentos, usando apenas o próprio corpo dos alunos e a força da gravidade como recurso, para fazer as atividades físicas. O custo era mínimo. Quando essa iniciativa deu frutos, e o grupo de alunos cresceu, eles decidiram alugar um galpão coberto para que os alunos treinassem. O resultado? Praticamente todos os alunos da praça se matricularam no novo box (é assim que eles chamam a “academia”). Um ano depois de abrir o box, eles já estavam com mais de 200 alunos regulares, treinando semanalmente. Daí decidiram expandir o espaço físico, ampliando em quase 50% a área total, além de inaugurar a venda de uma linha de roupas e também de lanches fitness. E há planos para o próximo aumento, para acomodar novas turmas.

Que lição isso ensina?

A lição mais importante é que, assim como na natureza, a evolução de um negócio se dá por estágios de crescimento. O corpo humano começa por meio de 2 únicas células e vai se desenvolvendo até chegar em 48 trilhões delas. Ele começa desenvolvendo o que é essencial para o funcionamento do corpo, como coração, sistema nervoso, os sentidos, enquanto usa emprestado o pulmão e rins da mãe. Com o tempo, o corpo vai ganhando estrutura e condições de vir ao mundo. O mesmo raciocínio se aplica às sementes e ovos, que dão origem à vida. Na natureza, nada começa grande e completo, as coisas começam pequenas e com o essencial.

Portanto, ao invés de tentar fazer muitas coisas ao mesmo tempo, escolha aquilo que é primordial para seu negócio. Escolha um ponto de partida, geralmente aquilo que as pessoas valorizam mais. Daí, com o tempo, evolua, adicione mais recursos que as pessoas também queiram e veja seu negócio prosperar com equilíbrio e resistência.

Faça um exercício de auto-conhecimento: sua empresa está tentando abraçar o mundo? Se estiver, talvez ainda dê tempo de repensar seu negócio, eliminar o que é desnecessário e focar no que realmente tem valor.

Anúncios

Uma consideração sobre “Quero fazer tudo: a falta de foco pode arruinar seu negócio”

  1. Acabei de conhecer o seu blog e já sou um fan dos seus textos. Neste momento, as 2h42 da manhã, estou exatamente tentando dar conta de tantas ideias que tive, e que estão me sufocando por não dar conta de todas elas. Seu texto caiu como uma luva, e com certeza me fará mudar de agora em diante.
    Obrigado!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s