9 Argumentos para Defender um Projeto de Identidade para um Cliente

No final desse artigo são mostrados nove argumentos para um designer gráfico defender um projeto de identidade visual e provar para um cliente que vale a pena fazer o investimento.

Mas antes disso, gostaria de dizer que ter uma “identidade visual” feita por um amador não é o fim do mundo. Muitos designers acham que o mundo gira ao redor deles, e que sem uma identidade visual “profissional” todo negócio irá à falência. Isso não é verdade.

Pare e analise a quantidade de serviços que você já usou e que tinham uma identidade visual meia boca:

  • Aquela casa de sopas deliciosas, que vive lotada no inverno;
  • Aquele buteco cujo nome você nem sabe e que enche toda noite;
  • Aquela pizzaria delivery com embalagem tosca, mas que mal dá conta de atender tantos pedidos por causa da pizza gostosa e quentinha;
  • Aquele lava-jato, caindo aos pedaços, com cara de favela, mas que só pode entregar seu carro limpo no final da tarde pois estão cheios de carros para lavar antes;
  • Aquela padaria de bairro, com fila na hora do pão, que é uma delícia;
  • Aquele posto de gasolina, que tem uma gasolina boa e o preço mais baixo da cidade;
  • Aquela farmácia que nem placa tem, mas que abre de madrugada, enquanto as outras estão fechadas;
  • Aquela barraca de feira com pastel delicioso;
  • Aquele carrinho de cachorro quente que faz 1000 hotdogs por noite;
  • Aquela costureira que atende o bairro todo e conhece todo mundo por nome;

Sim, todos esses lugares tem uma identidade visual, quer seja profissional ou amadora. Pois identidade todos tem, quer seja boa, quer não. Mas muitos cursos criam na cabeça dos alunos a idéia mitológica de que uma empresa só sobrevive se tiver uma identidade visual feita por um designer, como se isso fosse uma obrigação: mas não é.

Então, o que é uma obrigação para as empresas?

Obrigação é ter um nome. Disso não dá pra escapar. Você precisa ter uma existência jurídica e o nome é o ponto de partida para isso, nem que seja uma razão social. Veja: você pode viver sem um projeto de identidade visual. Mas não consegue viver sem um nome.

Outra prova de que o nome é muito mais importante, é o fato de que trocar de identidade visual é algo relativamente simples. Agora, tente mudar o nome de uma empresa e veja como isso sai caro e pode falir um negócio.

Além de um nome, também é obrigatório que cada negócio coloque em primeiro lugar e gaste dinheiro com o que for essencial.

Por exemplo, um restaurante precisa de

  • uma cozinha,
  • ingredientes,
  • funcionários,
  • um salão com mesas e cadeiras,
  • um atendimento de gente,
  • tudo muito higiênico.

Um lava-jato precisa de

  • um estacionamento coberto para carros,
  • um grande suprimento de água (ou produtos para lavagem a seco),
  • funcionários treinados,
  • um controle de entrada e saída de carros,
  • muitos panos e espaço para pendurar tapetes.

A farmácia, a casa de sopas, o carrinho de cachorro-quente, o dentista, o advogado, todos os negócios tem sua lista de prioridades, aquilo sem o qual é impossível rodar o negócio ou manter a empresa. E veja, tudo isso vem ANTES da identidade visual, pois as empresas não tem dinheiro infinito, e quando tiverem que decidir entre pagar os funcionários e contratar um designer, você já sabe quem elas vão escolher.

É preciso ter humildade e bom senso

Essas duas qualidades são importantes para os designers (eu me incluo nisso também) pois a humildade faz você perceber que, sim, a empresa pode existir sem sua mega linda master identidade visual. E o bom senso faz você entender que em alguns casos é melhor sugerir pro cliente fazer uma boa limpeza no espaço, ou treinar os funcionários, do que gastar dinheiro com um novo logotipo ou uma nova fachada.

Mas então as empresas nunca precisam de identidade visual “profissional”?

Calma, não foi isso que eu disse. Sim, há pelo menos nove situações em que uma identidade visual vai fazer diferença e vai justificar um investimento de mais de “n” mil reais:

  • SEGMENTOS DE ALTA COMPETIÇÃO: em segmentos altamente competitivos, em que todos os concorrentes tem uma identidade visual de alto nível, como cosméticos, perfumes, artistas musicais etc; Ex: J Quest, Anitta, Paco Rabanne, Givenchy, Luan Santana.

  • SERVIÇOS DELIVERY: em serviços onde não há atendimento presencial, como delivery de comida; Ex: Domino’s, Pizza Hut, Madero.

  • PROPOSTA DE VALOR: em segmentos em que o visual é parte da proposta de valor oferecida; Ex: Olimpíadas, Tomorrowland, softwares Adobe.

  • FUSÕES DE DUAS EMPRESAS: quando há a fusão de duas empresas e é preciso determinar qual será a identidade resultante; Ex: Itaú x Unibanco, Gol x Varig, TAM x Lan Chile, Brasil Telecom x Telepar.

  • MÚLTIPLOS CANAIS DE COMUNICAÇÃO: em empresas que lidam com grandes públicos e que emitem muitas mensagens em múltiplos canais de comunicação (social media, jornal, revista, TV, PDV, embalagens); Ex: Natura, Boticário, Google, Apple.

  • PRODUTOS PREMIUM: em empresas que lidam com produtos premium ou de luxo, com alto preço; Ex: Tiffany, Nike, Louboutin, Burberry.

  • MUDANÇAS DE DIREÇÃO: em empresas que “mudam de direção” e desejam indicar aos consumidores que houve essa mudança. É comum isso acontecer quando mudam os gestores como prefeitos, governadores etc;
  • PRODUTOS COM ALTAS MARGENS: nos casos em que as margens de lucro são elevadas e o consumidor não quer se sentir enganado. Ex: Jack Daniels, iPhone.

  • LINHAS DE PRODUTOS: quando uma empresa tem muitos produtos diferentes e é preciso demonstrar que eles pertencem ao mesmo fabricante ou tem a mesma qualidade. Ex: Nestlé, Mondelez, Kraft, Unilever, Procter & Gamble.

Quanto vale o show, Silvio?

Quanto custa fazer um projeto de identidade profissional? Quando um projeto de identidade de grande porte é necessário, os preços podem ser bem altos. Como exemplo posso citar:

  • Xerox – 100 mil dólares (primeira mudança de logo em 1994)
  • Varig – 1 milhão de reais
  • Bradesco – 1 milhão de reais
  • TAM – 3 milhões de reais
  • Unilever – 7 milhões de libras (na época, aprox 35 milhões de reais)

Obviamente, esses valores são exceções, mas mostram como alguns projetos não admitem soluções de “99 reais”, por causa do tamanho, complexidade e responsabilidade envolvidos.

Conclusão

Em resumo, nem toda empresa terá como prioridade um projeto de identidade visual de alta qualidade. Elas poderão escolher ter apenas um desenho simples ou logotipo para as identificar, e ficarão satisfeitas com um projeto feito no 99logos ou WeDoLogos. E haverá casos em que um projeto de identidade sistemático, com bastante pesquisa e análise terá que ser feito, pois a responsabilidade é muito maior. Nestes casos a presença de um designer é vital e um projeto custará facilmente mais de 99 reais, como é cobrado em alguns sites. É importante que os designers saibam avaliar onde a sua presença é realmente importante e onde ela é opcional. Isso evitará conflitos desnecessários e permitirá que os designers concentrem sua energia oferecendo seus serviços onde eles serão valorizados.

Participe!

Você consegue imaginar outras situações em que um projeto de identidade visual não seja opcional? Deixe seu comentário =)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s