8 conselhos sobre como evitar que o Design Thinking seja mais um modismo

Se você é “design thinker” e adora essa abordagem de paixão, seguem 10 recomendações para ajudar a não tornar o design thinking um modismo:

  1. Não seja simplista. Muitos defensores do design thinking apresentam o design como se fosse algo simples, uma sequência de 5 passos ou de 2 “diamantes” (Double Diamond), dando a entender que praticar design é algo que pode ser feito rapidamente, sem estudo ou rigor no método, apenas fazendo algumas entrevistas, um brainstorm, um protótipo de uma ideia e um plano de ação. Ser excessivamente simplista é ser ingênuo, dizer que o caminho a ser trilhado é fácil, mas nada está mais longe da realidade. Quer mostrar o valor do pensamento do design? Mostre não somente o lado bonito, mas também os fracassos, os erros comuns, os obstáculos que os designers enfrentam. Você pode ver alguns exemplos aqui. Continuar lendo “8 conselhos sobre como evitar que o Design Thinking seja mais um modismo”
Anúncios

8 evidências que mostram que o Design Thinking é um modismo

O Design Thinking é um modismo pois

  1. consiste em ideias simples, fáceis de explicar e entender,
  2. promete demais,
  3. serve para qualquer problema,
  4. consegue ser implementado de modo incompleto ou parcial,
  5. está alinhado com o “espírito da época” (zeitgeist),
  6. é uma embalagem nova para uma ideia antiga,
  7. obtém legitimidade por meio de gurus ou empresas renomadas e
  8. é apresentado de uma forma articulada, memorável, cheia de entusiasmo.

Nos anos 80 e 90 houve diversas modas na administração, como a Reengenharia, a Gestão Total da Qualidade (TQM), o downsizing. Assim como essas práticas vieram rápido, desapareceram rápido. Abaixo eu explico por que o Design Thinking tem todas as 8 características de um modismo e tende a desaparecer também.

Continuar lendo “8 evidências que mostram que o Design Thinking é um modismo”

8 evidências de que o Design Thinking é um modismo (versão longa)

Um modismo é um conjunto de ideias que sugerem um conserto rápido para um problema de gestão – uma solução simples que todas as organizações podem abraçar, para tornar empregados mais produtivos, clientes mais felizes ou lucros maiores.

Muitos modismos nem sempre servem para a essência do negócio e mostram ter pouco ou nenhum efeito profundo na performance das organizações, sem gerar os resultados desejados. Alguns alegam que há sim casos de empresas que tiveram sucesso por causa de um modismo, mas raramente consegue se provar que foi O MODISMO que causou o efeito, e não algum outro fator.

Continuar lendo “8 evidências de que o Design Thinking é um modismo (versão longa)”