Arquivo da tag: freelancer

Você tem perfil para ser um freelancer?

Quais são as sete características que todo freelancer deve ter e porque elas não são ensinadas na Universidade?

1. Não saia sendo freelancer sem se preparar antes.

  • Adquira experiência primeiro, antes de ser freelancer. Entre numa empresa pequena, veja como funciona o atendimento, os processos, daí ganhe confiança para voar sozinho.
  • Pare de continuar pensando só como funcionário. Um freelancer é empreendedor, e isso é diferente.
  • Tenha uma especialidade primeiro, seja bom em alguma coisa.
  • Faça networking: diga para o máximo de pessoas o que você faz, elas não conseguirão adivinhar se você não disser. Fale pros parentes, amigos, pessoas novas que você conhece. Você nunca sabe de onde irá surgir um novo cliente.
  • Tenha um site pessoal com portfolio atualizado, apenas com os melhores trabalhos que você realizou. Seja simples nessa hora, não o encha de informação desnecessária.

2. Coloque-se no lugar do cliente.

  • Saiba priorizar os clientes que você já possui, evite pegar trabalhos demais.
  • Faça cortesias, não seja mercenário que só trabalha por dinheiro. Senão você vai ficar com uma fama ruim.
  • Pense em gerar resultados, não apenas em fazer job bonito pra por no seu site.
  • Empolgue-se com os projetos dos clientes.

3. Cuide com carinho de si mesmo.

  • Cuide do corpo, da mente, da alimentação e do sono.
  • Trabalhe num espaço decente.
  • Continue estudando.
  • Aprenda sobre empreendedorismo e gestão de negócios.
  • Separe a vida pessoal do trabalho. Principalmente se tiver família.

4. Seja organizado.

  • Tenha metas. Aonde você quer estar em 1 ano? E em 5 anos? Quem não sabe o que procura, não sabe o que encontra.
  • Use planilhas, anotações e lembretes, para não correr o risco de esquecer algo importante.
  • Saiba quanto tempo demora para fazer um trabalho. Se não souber, pode passar um preço errado e ter problemas na hora de cumprir um prazo.
  • Peça ajuda para terceiros, delegue as coisas, não se sobrecarregue.

5. Saiba lidar com o dinheiro.

  • Controle o dinheiro.
  • Analise os projetos corretamente e dê o preço certo.
  • Evite começar o trabalho sem receber um adiantamento do pagamento.
  • Evite parcelar demais comprometendo sua renda.
  • Tenha coragem de cobrar seus pagamentos.
  • Não dependa de um cliente apenas pois se você perdê-lo, pode colocar em risco seu negócio.
  • Saiba guardar o dinheiro, pelo menos 10% do seu lucro mensal.

6. Tenha equilíbrio emocional.

  • Tenha auto-estima, não se preocupe demais com críticas.
  • Não aceite qualquer tipo de trabalho vindo de um cliente, saiba também dizer não.
  • Tenha auto-controle. Não se irrite facilmente com clientes ou fornecedores.
  • Não desista muito fácil ou cedo demais. Não fique achando que a culpa é sempre do cliente.

7. Comunique-se bem

  • Comunique-se direito com o cliente, sempre com clareza. Se tiver dúvidas, pergunte!
  • Coloque acordos por escrito com clientes, de preferência. Mas evite que o cliente pense que você está desconfiando dele, isso não é legal.
  • Diga a um novo cliente, desde o começo, tudo o que você faz, que tipo de projetos realiza. Ele pode te contratar para mais coisas.
  • Envie um orçamento só depois de falar com o cliente pelo telefone ou pessoalmente. Isso aumenta as chances de fechar o trabalho.
  • Seja acessível ao contratante, nada de bancar o fujão. Clientes odeiam quando você desaparece. Isso os deixam mais ansiosos.
  • Faça as perguntas necessárias na primeira reunião com o cliente, não venha com dúvidas pra casa. Saiba exatamente o que ele precisa.

Atitude não é ensinada nas faculdades

Em resumo, das 39 habilidades listadas acima, apenas 1 delas (“aprenda sobre empreendedorismo e gestão de empresas”) é ensinada nas Universidades, e mesmo assim de uma maneira que não é a ideal.

Ou seja, ser bem sucedido como freelancer tem menos a ver com sua habilidade em usar o Photoshop ou em desenhar, e mais em como você se comporta, quais atitudes você tem. Esse jeito de agir depende mais da sua formação familiar, dos valores que sua família te ensinou, da sua ética e moral, do seu equilíbrio emocional. Vale lembrar aqui que também não adianta ter muita atitude e não ter a parte técnica, é preciso ter OS DOIS.

Isso explica por que aquele profissional que não era tecnicamente perfeito, tinha um trabalho mediano até, se deu melhor como freelancer. Ele tinha a atitude empreendedora correta, seguiu os conselhos dados aqui e foi mais longe na carreira.

Os demais, que não viraram freelancers, foram tentar ser empregados, e muitos nem isso conseguiram, pois várias dessas atitudes indicadas aqui também servem para trabalhar em equipe: equilíbrio, comunicação, empatia, organização.

Pare e se pergunte: você tem essas qualidades para ser um freelancer? Se tiver, siga em frente, você sempre terá trabalho, clientes, amigos. Se ainda não tem, reflita onde pode melhorar e comece agora. Isso também é ter ATITUDE.

Anúncios